Coparticipantes do sofrimento de Cristo

img
Coparticipantes do sofrimento de Cristo
Ênedy Fernandes

"Amados, não se surpreendam com o fogo que surge entre vocês para os provar, como se algo estranho lhes estivesse acontecendo. Mas alegrem-se à medida que participam dos sofrimentos de Cristo, para que também, quando a sua glória for revelada, vocês exultem com grande alegria. Se vocês são insultados por causa do nome de Cristo, felizes são vocês, pois o Espírito da glória, o Espírito de Deus, repousa sobre vocês."

1 Pedro 4:12-14

Vivemos tempos paradoxais aqui no Brasil. Você certamente já ouviu por aí sobre a discrepância entre o grande número dos ditos evangélicos no Brasil, a despeito da relevância ínfima que este número tem exercido na sociedade.

Inclusive a reação do evangelicalismo brasileiro tem sido de dois extremos terríveis. Uma parte, em nome do "amor" e da "tolerância" tem se conformado (tomado a forma, como disse o apóstolo Paulo) com as mudanças que vemos na sociedade. Muitos de vocês já devem ter ouvido falar das igrejas inclusivas, da "teologia queer", entre muitas outras situações catastróficas que tem feito a "onda progressista" entrar na igreja.

Por outro lado, vemos outros que tem partido justamente para o lado oposto, partindo para ignorância, agressão (física inclusive), desafetos, enfim, percebemos que falta a compreensão e o zelo.

E no meio disso tudo estão aqueles que entendem que não é por nenhum dos dois lados que seremos relevantes. E são justamente esses que tem experimentado o fogo surgindo entre eles para os provar (v 12). Estes são atacados tanto pelas ideologias ditas progressistas. São atacados pelos "evangélicos inclusivos", que os colocam junto com os intolerantes, e também são atacados pelos "evangélicos exclusivos", que os colocam como gente que está se conformando com isso tudo.

Pedro faz questão de nos lembrar que devemos nos regozijar pelo sofrimento, pela calúnia, de qualquer que seja a parte. Estamos tendo o privilégio de sermos coparticipantes do sofrimento de Cristo. Precisamos abraçar os perdidos, mas também mostrá-los que eles estão seguindo um caminho de morte. Mesmo que isso custe nossa reputação, nossos amigos, parentes, ou até nossa vida. Se somos insultados, isso manifesta que o Espírito da glória, o Espírito do próprio Deus habita em nós!

Que sigamos firmes, resistentes às doutrinas estranhas ao evangelho, mas em amor, abraçando o perdido e os mostrando Cristo a eles!